Ricardo Ribeiro: "é preciso inventar a vontade"
Redação, 27 de março de 2020

Ricardo Ribeiro: "é preciso inventar a vontade"

Desafiámos vários músicos a escreverem sobre a atual situação provocada pela pandemia de Covid-19.

Tempos difíceis aí estão,
carregados de medo e de compras de supermercado.


A uns falta carne, a outros esperança, aquela que se deita todos os dias à mesma hora com a sombra de cada um.
Sair não se pode, ninguém pode, ficar é preciso, sentados na fé ou ligeiramente inclinados nos afazeres do por-vir.
Não é fácil inventar a vontade de fazer coisas no espaço das paredes que nos rodeiam no respirar do outro que se move por todos os cantos da indecisão. 
A vontade pode ser inventada sem pensar no amanhã, aquela vontade pura de viver e fazer viver.
Semear sonhos ao mesmo tempo que aspiras os tapetes e banir o rancor, o tédio e a tristeza enquanto lavas a louça do jantar regado de notícias que não conseguimos apagar, cultivar a dignidade do silêncio dentro do grito de desespero que invade as ruas das cidades ?mortas.?
-Nada acontece ao Homem que não seja próprio do Homem. Disse o imperador Marcus Aurelius.


É tempo da colheita interior dos mais altos valores de ser Homem, de ser Mulher.
É preciso saber ver, é preciso inventar a vontade acima de tudo, por baixo de tudo.
Eu invento a vontade na minha filha, na minha mulher, nos vizinhos, nas plantas,no meu cão.
Por isso ?onde há uma vontade há um caminho? e este fantasma desumano que me recuso a pronunciar o nome, dá-nos a vontade de escolher o caminho. 

 
Ricardo Ribeiro

Por: Redação